terça-feira, 21 de junho de 2016

A nova Zelotes com relator na CPI petista quer se tornar uma nova Lava Jato mas, sem prender Lula!

squeceu qualquer pretensão de seriedade investigativa, esqueceu todas as grandes empresas e esquemas criminosos que vinha investigando na primeira etapa, e aderiu ao circo político que fez tanto sucesso junto aos zumbis e mortos-vivos que ainda acreditam nesta imprensa golpista e mercenária.
 
Deflagrada no dia 26 de março de 2015, a Operação Zelotes descobriu um esquema de fraude no Carf, por meio do qual uma quadrilha, segundo a Polícia Federal, fazia um “levantamento” dos grandes processos no conselho, procurava empresas com altos débitos com o Fisco e oferecia "facilidades", como a anulação de multas. O procurador Frederico Paiva criticou o Carf, classificado por ele como ineficiente, pouco transparente, burocrático e propício à corrupção, ao tráfico de influência e à advocacia administrativa.  a CPI vai votar requerimentos de convocações. 
Na lista, estão o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e o filho dele, Luís Cláudio. Também há requerimentos de convocação do ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, e de executivos de várias empresas.

O valor total dos débitos tributários em análise no Carf chega a R$ 516 bilhões.
O valor é fruto de investigação de 74 processos do Carf no valor de R$ 19 bilhões em dívidas de bancos, montadoras de automóveis, siderúrgicas, empresas e devedores, em propinas com agentes públicos para burlar o pagamento de impostos. O Conselho vinculado ao Ministério da Fazenda é encarregado de julgar recursos contra multas aplicadas pela Receita Federal, e a operação que investiga fraudes para comprar as decisões do Carf.
 
O Conselho Superior do Ministério Público Federal autorizou a criação de uma força-tarefa para intensificar as investigações da Operação Zelotes, da Polícia Federal, que apura fraudes em processos julgados pelo Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). A investigação coordenada pelo procurador da República Frederico Paiva e será reforçada pelos procuradores José Alfredo Silva, Raquel Branquinho e Rodrigo Leite Prado. Segundo Paiva, a participação de mais procuradores é necessária diante do volume de provas que devem ser analisadas, como horas de interceptações telefônicas, milhares de e-mails trocados entre os acusados, além de dados bancários e fiscais.

O processo contra Lula para o qual o juiz foi designado relator tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF) até o mês passado junho de 2015. Rodrigo Janot, defendia que o processo fosse enviado para o juiz Sérgio Moro.
 
O ministro Teori Zavascki, no entanto, entendeu que o caso não tem conexão direta com a operação que investiga o esquema de corrupção na Petrobras e o destinou à Justiça Federal em Brasília. 
Ricardo Augusto Soares Leite na 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília como juiz titular substituto do Juiz Vallisney de Souza, que estava emprestado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ. Em janeiro de 2015, os procuradores e delegados solicitaram 16 prisões temporárias, mas o juiz original do caso na 10ª Vara Criminal de Brasília, Ricardo Leite, negou todos. Segundo o MP, em outubro, Leite deixou de enviar ao STF suspeitas surgidas sobre autoridades com prerrogativa de foro, como ministros e parlamentares, negou todos os pedidos de prisão dos investigados, suspendeu escuta telefônica e não autorizou buscas e apreensões.” O procurador Rodrigo Paiva pediu que Leite não atuasse mais em nenhum processo da Operação Zelotes, mas o pedido não chegou a ser analisado porque o titular voltou a atuar no caso. 

Longe dos processos, Leite ingressou com queixa  sob a acusação de que o Procurador Rodrigo Paiva atuava para poupar o PT nas investigações. 
Até este deputado petista  relator da CPI do CARF, quer execrar o Juiz Ricardo Leite!
A operação também apura envolvimento de bancos e grandes empresas do País acusados de comprar medidas provisórias editadas pelo governo Lula (2003-2010). O petista e o filho dele, Luís Cláudio, são alvo de procedimentos investigatórios na operação.  Entre as punições previstas que podem ser aplicadas ao juiz, estão advertência, remoção para outra vara e até mesmo aposentadoria compulsória. o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) vai na mesma direção: solicitará ao CNJ a instauração de sindicância e processo administrativo disciplinar contra o juiz Leite. Segundo Pimenta, relator da subcomissão da Câmara criada para acompanhar a Zelotes, a atitude do juiz Ricardo Leite tem “prejudicado sobremaneira a apuração dos fatos”, delegados da Polícia Federal e procuradores da República encarregados do caso reclamaram publicamente do comportamento do juiz Soares Leite.
A empresa foco das investigações no esquema de corromper conselheiros do Carf, a fim de favorecer empresas que discutiam multas no órgão. A líder dos repasses para a SGR, entre 2005 e 2013, foi a RBS, afiliada da Globo no Rio Grande do Sul. A TV teria sido beneficiada com a compra de decisão favorável pelo Carf, em um dívida de 672 milhões no órgão. 
Além da RBS, três bancos também fizeram grandes repasses à consultoria: o Brascan, o HSBC (o banco oferecia, do Brasil, a abertura da conta na Suíça para que o depósito fosse feito por lá. ) e o Opportunity de Daniel Dantas; -  o chefe da delegacia da Receita em São Paulo, Eduardo Cerqueira Leite, comentou que o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, havia agradecido a ele de "ajudar o banco".  Sete dias depois, no dia 20 de novembro de 2014, o juiz Ricardo Leite mandou parar as interceptações telefônicas, o que impossibilitou a confirmação se o banco aceitou a proposta do esquema. 
Por meio da MP 471, benefícios fiscais da ordem de R$ 1,3 bilhão seriam garantidos a montadoras do nordeste, centro e norte do país, a medida legislativa no governo Lula, ao lado da Marcondes & Mautoni. Segundo suspeitas da PF, a empresa do filho do ex-presidente teria recebido propina do grupo de Mauro Marcondes.
A primeira operação, já aberta, trata-se do inquérito-mãe do esquema, que investiga políticos, tesoureiros e operadores por formação de quadrilha. A segunda ação, que ainda não foi instaurada, envolve Lula e a presidente afastada Dilma Rousseff em um outro acordo para barrar investigações contra ele.

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/POLITICA/505588-CPI-DO-CARF-OUVIRA-PROCURADOR-DA-REPUBLICA-RESPONSAVEL-PELA-OPERACAO-ZELOTES.html

http://www.ocafezinho.com/2015/10/31/a-estranhas-coincidencias-entre-lava-jato-e-a-nova-etapa-da-zelotes/

Nenhum comentário: