sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A presidenta Dilma aproveitou a sua ida a ONU para camuflar uma visita obrigatória ao QG. do Governo Mundial em New York, o CFR

Em 1999, membros importantes do CFR tiveram contatos próximos com as organizações criminosas participantes do Foro de San Pablo. Se é verdade que só querem o bem coletivo, então, porque o segredo e o mistério? É mais do que óbvio que por trás dessas instituições há conspirações, controle e luta por poder.

Dilma Rousseff,
...foi buscar suas novas tarefas de casa, onde confirma submissão, como fizeram antes todos os seus antecessores...

«Pois o que aproveitará homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?»

CFR
The Council on Foreign Relations 
The Harold Pratt House 58 East 68th Street New York, NY 10065
imagem
A equipe anfitriã, que contribuiu na desnacionalização do Brasil 
são muito atenciosos e cortês...
imagemimagem

Regularmente, o CFR faz reuniões secretas com seus membros e alguns poucos convidados escolhidos a dedo. Esporadicamente, há tam­bem uma reunião aberta para a qual a mídia é convidada – tanto repre­sentantes dos jornais quanto do rádio e da televisão – cujo objetivo é dar a impressão de que o CFR é um grupo inofensivo de cidadãos que se preo­cupam com as questões sociais. É compreensível que, através dessa es­porádica transparência, o grupo consiga disfarçar que o CFR, na verda­de, segue e impõe metas bem determinadas, o que nada tem a ver com métodos democráticos.
É o domínio dos interesses econômicos, acima de qualquer outra preocupação; é o abso­lutismo da maximização dos lucros contra os interesses sociais, culturais ou religiosos. Não são extraterrestres perversos nem hipotéticos mons­tros superpoderosos que almejam o controle da Terra, tomando-se mes­tres do mundo. É um determinado sistema que se encarrega disso – dinhei­ro, lucro, riquezas. 
As sociedades secretas do estilo antigo já estão superadas. Diante dos olhos do público aturdido, intelectual e emocionalmente, desenrola-­se, há muito tempo, uma luta pelo poder, cujo objetivo é possuir o corpo e a alma das pessoas, tornando-as maleáveis.
O capital estrangeiro direto pode causar, se não for controlado pelos Estados Nacionais, a ruína de um país, a médio e longo prazos. Eles querem que nós abramos nossos mercados para eles, mas não abrem os deles para nós…

Nota do autor: Conciliando os fatos, chego a conclusão de que o CFR está ligado ao Foro de São Paulo. Por isso que se diz: Não existe esquerda nem direita. 
(CFR) era (e é) uma "fachada" para uma sociedade secreta que controla o mundo. [Gary Allen, None Dare Call it Conspiracy, Concord Press, Rossmoor, CA, 1971, pág. 1-10.]
Lembrando a história... "O comprometimento de Cecil Rhodes com uma conspiração para estabelecer o Governo Mundial foi registrado em uma série de testamentos descritos por Frank Aydelotte em seu livro American Rhodes Scholarships." [2; Gary Allen, em None Dare Call It Conspiracy, pág. 79.]. Em 1999, Membros importantes do CFR tiveram contatos próximos com as organizações criminosas participantes do Foro de San Pablo 
"Em seu primeiro testamento Cecil Rhodes declara seu objetivo de forma ainda mais específica: 'A extensão do domínio britânico por todo o mundo, o aperfeiçoamento de um sistema de emigração a partir do Reino Unido e de colonização por súditos britânicos de todas as terras em que os meios de vida são alcançáveis por energia, trabalho e iniciativa e, especialmente a ocupação por colonos britânicos de todo o continente africano, da Terra Santa, do Vale do Eufrates, das ilhas de Chipre e Cândia, de toda a América do Sul, das ilhas do Pacífico que ainda não pertencem à Grã-Bretanha, e de todo o Arquipélago Malaio, do litoral da China e do Japão, a recuperação final dos Estados Unidos da América como uma parte integral do Império Britânico... e, finalmente, a fundação de um poder tão grande que daqui para a frente torne as guerras impossíveis e promova os melhores interesses da humanidade." [Frank Aydelotte, op. cit., págs. 5.]
"As implicações na apresentação do governador Rockefeller se tornaram propostas concretas levadas adiante pela mais recente cabala internacional de David Rockefeller, a Comissão Trilateral. Enquanto o CFR Conselho das Relações Internacionais é distintamente nacional em sua composição, a Comissão Trilateral é internacional... Ela tem o objetivo de ser o veículo para a consolidação multinacional dos interesses bancários e comerciais por meio da tomada do controle do governo político dos EUA." — Senador Barry Goldwater, em seu livro With No Apologies, pág. 280 [Barry Goldwater, With No Apologies, William Morrow and Company, New York, 1979, pág. 280.].
"Esta sociedade já foi chamada de vários nomes. Durante a primeira década ela era chamada de 'sociedade secreta de Cecil Rhodes', ou 'o sonho de Cecil Rhodes'. Na segunda e na terceira década de sua existência, ela foi conhecida como 'Jardim de Infância de Milner' (1901-1910) e como 'Grupo da Mesa Redonda' (1910-1920). Desde 1920, ela tem sido chamada de vários nomes, dependendo da fase de suas atividades que estava sendo examinada. Ela foi chamada de 'turma do Times', 'turma de Rhodes', 'turma da Chatham House', 'grupo do Colégio de Todas as Almas', e 'o conjunto de Cliveden'." [Carroll Quigley, The Anglo-American Establishment, Books in Focus, 1981, pág. 4]. 
Disse Rockfeller:
"Alguns até acreditam que somos parte de uma cabala secreta, que trabalha contra os melhores interesses dos Estados Unidos, caracterizando minha família e eu como 'internacionalistas' e de conspirar com outros no exterior para criar uma estrutura política e econômica global mais integrada — um mundo unificado, por assim dizer. Se esta é a acusação, então sou culpado, e tenho orgulho disso." [David Rockefeller, Memoirs, Random House, New York, 2002, pág. 405.].
Em 1999, Membros importantes do CFR tiveram contatos próximos com as organizações criminosas participantes do Foro de San Pablo o presidente da Bolsa de Valores de Nova York, Richard Grasso, membro do CFR, fez uma visita de cortesia ao comandante das Farc, Raul Reyes, e saiu dali festejando a comunidade de interesses entre a quadrilha colombiana e a elite financeira “progressista” dos EUA. Logo em seguida, outros dois membros do CFR, James Kimsey, presidente emérito da America Online, e Joseph Robert, chefe do conglomerado imobiliário J. E. Robert, tinham um animado encontro com o próprio fundador das Farc, o velho Manuel Marulanda, e em seguida iam ao presidente colombiano Pastrana para tentar convencê-lo, com sucesso, a ficar de bem com a narcoguerrilha. - A divisão de trabalho era nítida: os potentados do CFR negociavam com a principal força de sustentação militar e financeira do Foro de São Paulo, enquanto seus office-boysintelectuais cuidavam de despistar a operação proclamando que o Foro nem sequer existia. O CFR alardeava a intenção de eliminar a influência do narcotráfico nos governos ao mesmo tempo que contribuía ativamente para que essa influência se tornasse mais vasta e fecunda do que nunca. Ao CFR pertencia também o presidente Clinton.

Fonte:
The Anglo-American Establishment, From Rhodes to Cliveden» («O Establishment Anglo-americano, de Rhodes a Cliveden), de Carroll Quigley, 1981. Quigley  esclarece como essa sociedade secreta, pura­mente britânica, serviu de modelo para o grupo norte-americano CFR.
Cecil Rhodes escreveu uma carta para William Stead que menciona "a nossa sociedade". 
 «Governo Oculto do Mundo», de Wulfing von Rohr 
 «As Redes Secretas do Poder», de Pablo Allegritti
 «O Governo Secreto», de Jim Marrs
 «A Verdadeira História do Clube Bilderberg», de Daniel Estulin 
Créditos: Professor Fendel

4 comentários:

Márcia Regina disse...

Faz algum sentido esconder boas intenções?Faz algum sentido restringir grandes conhecimentos a um grupo pequeno e selecto de pessoas? Eticamente e moralmente falando, podemos de facto acreditar nas boas intenções visando o bem coletico, que as sociedades secretas e as escolas de mistério proclamam?
Se é verdade que só querem o bem coletivo,então porque o segredo e o mistério? É mais do que óbvio que por trás dessas instituições há conspirações, controle e lutapor poder.

Marilda Oliveira disse...

No Brasil, a impunidade é total. Clássico para entender é o livro Arte de Furtar. "Mais da metade do PIB brasileiro não é contabilizada. São trilhões de reais sonegados por grandes empresas e corporações. Com um poder aquisitivo desses compra-se tudo, até a impunidade" O importante Márcia, é continuarmos a ser o que sempre fomos; íntegras, éticas, pesquisadoras pela verdade, visando um mundo melhor para a humanidade, para os nossos semelhantes, se não conseguirmos alcançar... pelo menos teremos o nosso espírito elevado.

CONHECENDO A HISTÓRIA disse...

14/09/2013 - 14:54
Aos que valorizam a honestidade,a sinceridade,a integridade,o conhecimento da verdade desse mundo,mesmo com pouco apoio,mas com suas convicções herdadas de muitas pesquisas,vos deixo o meu respeito como um de vocês.Sempre acreditei no Brasil que falavam e hoje cada vez mais descubro que nunca conquistamos a Independência,ela na verdade foi dada pra se colocar uma outra.Avante!Abraço a todos.
Wellington

Marilda Oliveira disse...

Prezado Conhecendo a História. Hoje, 10/09/2014 associo o CFR ao Foro de San Pablo fundado por Lula, Fidel, Farc em 1990 levando o povo brasileiro a ter que escolher o menos pior entre os candidatos a presidência. Grata.