terça-feira, 13 de junho de 2017

Atomos para a Paz com o fim da Haarp armas dos senhores do mundo para guerras silenciosas

Nota minha: qual o “esquema” básico dos senhores do planeta. Este se baseia num método já muito antigo e usado no decorrer da história, mas que sempre dá certo século após século... Isto é, a elite cria o problema (como por exemplo um ataque terrorista), ai o povo reage ao ataque (como vimos acontecer com o povo norte americano depois do 11 de Setembro) e entrega a sua liberdade, riquezas e força para a “salvadora elite administrativa” (que inicialmente foi quem calculadamente criou o problema), a elite então vem com a “solução”, que se trata de guerras, expansionismos, aumento de impostos, aprovação de leis tirânicas, etc... tudo a favor da própria elite, e contra o povo. Diante da trama o povo parece cego, não percebe o truque, e nem poderia mesmo, pois a educação, mídia impressa, televisiva, etc... estão fortemente nas mãos dessa mesma elite, que os manipula como se fossem bonecos de pano. E assim como bonecos de pano, são perfeitamente descartáveis.
01) Bush era inicialmente o escolhido precedido pelo ocultista Obama para começar a 3 Guerra, Bush se aproveitou do 11 de Setembro (perpetrado pelos próprios Americanos) para invadir países inocentes, tais como Afeganistão, Iraque, e com isso criou muita tensão nos países Árabes. Israel se aproveitou para criar problemas com os vizinhos, por exemplo, bombardearam o Líbano [Israel é um estado criado e conduzido pelos Rothschild, família de banqueiros judeus sionistas Askenazim]. 
02) Nos EUA/Georgia o governo até já tinha construído campos de concentração, e crematórios gigantes, onde caixões de plásticos grandes foram acumulados aos milhões, em cada um caberiam 3 corpos humanos, para então serem levados aos fornos.
03) Quanto mais “querido” for o presidente, melhor. Ai quando ele “em nome da liberdade” pedir ao povo para guerrear, o povo cego pelo “carisma do líder” vai à guerra, e lutará ferozmente.
04) Os EUA e a União Européia estão descaradamente usando essa arma para provocar terremotos no mundo todo; uma das primeiras vitimas ao que parece foi o Japão, pois o Japão estava ameaçando a soberania financeira dos ocidentais. Depois ouve o terremoto que causou o super tsunami no sudeste Asiático [matou mais de 230 mil pessoas em 2004], ai veio o da China [matou mais de 8 mil pessoas, com claras características de ter sido causado pelo HAARP, pois as nuvens da região afetada ficou fluorescentes], no caso do terremoto do sudeste Asiático, ele iniciou na ilha de Sumatra na Indonésia, uma região pouco habitada, então se as nuvens ali ficaram florescentes, ninguém teve a chance de filmar; a riqueza do Haiti em petróleo, ouro e irídio explicam a ocupação/invasão a seguir ao terramoto, o Haiti está estrategicamente localizado, seria então um lugar perfeito para uma base militar Norte Americana em caso de Guerra contra países sul americanos [que é o que Washington está fomentando nesse exato momento]os Estados Unidos cortaram ajuda humanitária ao Haiti, bloquearam empréstimos internacionais, forçaram o governo do Haiti a reduzir serviços, arruinaram dezenas de milhares de pequenos agricultores e trocaram apoio ao governo por apoio às ONGs; o ultimo feito do HAARP, o terremoto no Chilemoradores locais filmaram as nuvens fluorescentes no céu de Concepción horas antes do terremoto, O que veio fazer Hillary Clinton? Coincidência vir logo após o Terremoto?
05) Nós não podemos fazer nada, se tem alguém que pode fazer algo, são os próprios Norte Americanos e Europeus, e a única arma é a informação. Se a população desses países forem informados sobre o que seus governos corruptos estão planejando, então poderão agir de alguma forma para impedi-los, divulgue então o conteúdo desse texto o Maximo que puder. Mas a natureza das pessoas é muito fútil, exageradamente cética e cabeça dura, quando as pessoas estão por cima, elas esquecem de tudo, se alguém vem dizer algo desagradável, tipo – “Ei acorda, estão te enganando!” – elas geralmente dizem – “Ah, cala a boca, sou esperto(a), você é louco, sai daqui!”. Então amigos(as), só podemos esperar por um milagre... e vocês sabem né, Deus é econômico com os milagres...
06) Os Magos do bem caíram na conversa fiada do “Paz e Amor ai bicho!?”, não procuraram ocupar os cargos de poder no mundo, e assim eles foram ocupados pelos Bildebergs Magos Negros. O mundo atualmente pertence aos Magos Negros e por conta desse desleixo poderemos ter de pagar com mais uma Super Guerra. Como se duas já não fosse o suficiente...povo alienado e ainda por cima “hipnotizado” pelo brilho de seu líder carismático não vai pensar duas vezes antes de primeiro, caçar e matar os dissidentes internos, os corruptos, os vendilhões da pátria. Se uma pessoa do bem rejeita exercer o poder, então ele vai ser exercido por outro menos qualificado, foi o que aconteceu no nosso mundo desde sempre.

02)
04)
Resultado de imagem para tsunami  haarp japão

Imagem relacionada


Atomos para a Paz na Coreia
https://mail.google.com/mail/u/0/#inbox/15c9e6597c1c8f3d
O acordo "energia por armas" de 1994 funcionou até os atentados terroristas de 11 de setembro, após o qual Presidente dos Estados Unidos, George W.Bush, afirmou que a Coreia do Norte fazia parte, junto ao Iraque e o Irmão do chamado "eixo do mal". Dois anos depois os Estados Unidos invadiram o Iraque. Os líderes norte-coreanos concluíram bastante racionalmente que o erro do Iraque não foi buscar a arma, mas sim terem fracassado en construí-la. Eles realizaram seu primeiro teste de armas nucleares três anos depois, em 2006. A busca contínua de Washington por uma estratégia fracassada faz pensar que não seria Pyongyang o ator irracional deste "drama".

Não só a Coreia do Norte está mais perto do que nunca para produzir um míssil balístico intercontinental que pode atingir os Estados Unidos, mas também seus habitantes continuam atolados na pobreza, em parte devido à falta de eletricidade abundante e confiável. As imagens de satélite mostram uma Coreia do Sul brilhantemente iluminada, um terço da energia para isso vindo de suas usinas nucleares, ao lado de uma Coreia do Norte quase inteiramente escura.



O melhor seria essa super guerra NUNCA acontecer.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Muçulmanos, Judeus, Jihad,...

Nota minha: E para completar nos anos 1400/1500, Portugal e Espanha cumprindo acordos de "cavalheiros" inventaram a farsa "cristãos novos" espalhando-os pelo globo para a tomada final; a clã de  banqueiros / judeus /jihad, sempre existiu e até hoje, muito organizada, a enganar os trouxas na tomada do poder nos países deixado por eles sempre em desenvolvimento.

Matéria do amigo virtual,
Edwaldo Vieira
08/06/2017 
"EU ODEIO O CRISTIANISMO, PORQUE OS CRISTÃOS PERSEGUIRAM OS JUDEUS, OS NEGROS, OS ISLÂMICOS E COMETERAM ATROCIDADES COMO QUEIMAR PESSOAS NA FOGUEIRA ACUSADAS DE BRUXARIA"
Quem te disse isto não mentiu, porém, esqueceu de te dizer ou escondeu de você o outro lado da moeda...
Quem deu origem ao Islamismo e aos terroristas islâmicos foi o Jihad, antes mesmo do cristianismo aparecer no mundo. O Jihad perseguiu os persas (ora, a mesma raça), destruiu a Babilônia, sangrou a Mesopotâmia,depois investiram contra os gregos, egípcios e romanos. Na Idade Média os muçulmanos, oriundos do Jihad perseguiram os cristãos na Europa ao invadirem a Penínslua Ibérica, e os judeus no Oriente Médio, escravizaram, mataram, queimaram, estupraram, enfim, cometeram atrocidades incontáveis. A investida dos cristãos contra os muçulmanos foi uma resposta a quase dois mil anos anos de atrocidades do Jihad contra todos os povos do Mediterrâneo, Pérsia, Norte da África e Europa.
Os judeus, por sua vez, praticaram uma atrocidade sem igual, que foi a criação dos bancos, os mesmos bancos dos quais você é escravo hoje. Os judeus também escravizaram e vendiam cristãos aos semitas, ititas e... para os muçulmanos. Os judeus emprestaram dinheiro aos reis da Europa e aos xeiques árabes para o financiamento das suas guerras particulares.
Os negros do Norte da África não ficaram para trás, tornaram-se muçulmanos, entraram na Europa, escravizaram e cometeram atrocidades contra os brancos e os cristãos. Mais de 600 anos de ódio e de vingança. Para além disso, vendiam sua própria raça aos escravistas da Companhia das Índias Ocidentais - ops, já estamos na Idade Moderna, rápido, não?
Então... Quem escravizou quem? Quem matou, estuprou, queimou quem?
O que vemos hoje com esse tal "respeito à crença islâmica, respeito aos negros, fora com os cristãos" nada mais é do que a continuidade de um jogo de toma-lá-dá-cá que tem mais de três mil anos. Um jogo sórdido que os comunistas souberam aproveitar para tirar vantagem e alcançar o poder.
O QUE TE CONTARAM, O QUE TE CONTAM É APENAS UMA CENTELHA DA HISTÓRIA, É APENAS A PARTE QUE INTERESSA A ELES, A FIM DE TORNAR VOCÊ UM IDIOTA CONDUZIDO A APOIAR MAIS UM GRUPO DE ASSASSINOS NO MUNDO
CONSELHO: VÁ ESTUDAR HISTÓRIA DE VERDADE, Ô INFELIZ

terça-feira, 6 de junho de 2017

OS OBJETIVOS DA PGR VERSUS OS INTERESSES DO BRASIL.

São muitas as informações relevantes.
Não há como deixar de compartilhá-las.
Saudações atenciosas,
Guilhermina Coimbra.
  
                      OS OBJETIVOS DA PGR VERSUS OS INTERESSES DO BRASIL.
                                   Profa. Guilhermina Coimbra.*
   
Na justificativa que enviou ao STF para manter em sigilo as provas referentes à colaboração premiada da empresa brasileira de engenharia, o Procurador-Geral da Republica claramente declarou:

...”o objetivo da PGR é ajudar a destruir a maior empresa brasileira de engenharia no mundo inteiro. Com esse objetivo, a PGR fará tudo que for necessário”.

Em Davos, o Procurador da PGR disse que a Lava Jato é “pró-mercado”.

É de se entender que a PGR deve-se ser verdadeiramente “pró-mercado internacional”, porque, a PGR do Brasil positivamente não é a favor nem do mercado brasileiro e nem da empresa de engenharia civil brasileira obrando fora do Brasil.

Isto porque, o Procurador da PGR - ao destruir as empresas brasileiras, aqui e lá fora - ajudou grupos de construção civil do mundo inteiro a se livrar de um perigoso concorrente: a empresa de engenharia civil brasileira.
Estranho, não? De pasmar, mesmo!

Enquanto o mundo inteiro faz guerra para defender os interesses de suas empresas, a PGR do Brasil torra o dinheiro público brasileiro – pagando aos Procuradores da PGR, para ajudar o mundo a destruir as empresas brasileiras!!!.

contribuinte brasileiro recusa-se a remunerar todo e qualquer membro da PGR que esteja trabalhando contra os interesses do Brasil.

De se observar, que alguns daqueles que se pretendem governantes do Estado brasileiro perderam qualquer sentido de responsabilidade sobre a segurança econômica do Brasil. Para eles, nada mais importa a não ser subsidiar a destruição da economia brasileira.

A população brasileira atenta e perspicaz percebe os grandes empresários brasileiros do setor de produção dispostos a se submeterem às exigências da PGR, servindo de “iscas” contra o Presidente da República e Senadores, além de fazerem as delações que interessam aos Procuradores da PGR.

O que é realmente chocante é o grau de ilegalidade e falta de compromisso nacional - do sistema de justiça brasileiro.

A esperança é no sentido de que nenhum acordo internacional pode ser fechado sem monitoramento constante do Ministério da Justiça, autorização do Legislativo e um mínimo de debate junto à sociedade civil organizada.

A população brasileira está atenta, não deixa passar nada. O tema tem sido conversas até de chopinhos descompromissados, tal a vergonheira desses Procuradores trabalhando contra os contribuintes do Brasil que a duras penas, os remuneram.

Os empresários brasileiros devem obrigatoriamente se manifestar porque eles serão os grandes prejudicados.

A população brasileira sente-se envergonhada ao verificar que a operação - Lava Jato – tem feito acordos constantes com o Departamento de Justiça dos EUA, e com MPs de diversos países, sempre visando prejudicar as empresas brasileiras.

Como os Ministérios Públicos do mundo inteiro são estritamente submetidos a seus respectivos Governos, todos eles estão se deliciando e rindo muitocom esta oportunidade graciosa, oferecida por esse Procuradores brasileirosignorantes – na melhor das hipóteses – na tentativa de destruírem a maior empresa brasileira de engenharia, prestando serviço às empresas de engenharia nacionais deles.

A população brasileira tem observado que o Ministério Público brasileiro não responde ao Governo brasileiro e nem responde aos contribuintes brasileiros que os remunera. O MP do Brasil tem respondido apenas à determinados interesses, os quais positivamente não são os interesses da população brasileira.

Alguém poderia argumentar que a empresa brasileira de engenharia da qual se trata é corrupta, razão para destruí-la no Brasil e no mundo.

Mas a corrupção se combate com inteligência, sem destruir o patrimônio acumulado das empresas nacionais brasileiras.

A empresa brasileira que ora pretendem destruir tinha consolidado negócios no mundo inteiro. Destruir isso, além de ser uma estupidez, é verdadeiramente, uma traição aos interesses nacionais brasileiros.

É realmente incrível que a PGR do Brasil tenha orgulho de trair os mais importantes e estratégicos interesses econômicos nacionais brasileiros.

Os interesses nacionais brasileiros são os de empregar brasileiros. As empresas de engenharia civil brasileiras - quando desempregam - são as responsáveis pelo aumento da violência no Brasil.

A população brasileira está atenta e não admite que sejam desempregados os operários e engenheiros brasileiros - trabalhadores da empresa de engenharia civil do Brasil, que ora se esforçam para destruir.

Polícia Federal investigando:
- afinal para quem trabalham esses Procuradores (???!!!) e quais os interesses que se esforçam tanto em defender - vez que são contra os interesses dos nacionais e estrangeiros residentes no Brasil que os remuneram ???.

E qual a razão do Procurador-Geral da República,  haver encaminhado Ofício-circular aos chefes dos Ministérios Públicos dos países que conduzem investigações relacionadas à empresa brasileira para informar que solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a manutenção do sigilo em relação a todas as provas que constam dos acordos de colaboração premiada firmados pela empreiteira??? A partir do dia 1º de junho, a Procuradoria-Geral da República compartilhará as informações com os países que enviaram pedidos de cooperação internacional.

No pedido feito ao STF, a PGR explica que a permanência do sigilo se justifica em razão do possível interesse das autoridades estrangeiras na adoção de medidas investigatórias relativas aos fatos reportados pelos colaboradores que podem ser prejudicadas se houver publicidade do material antes que seja possível encaminhá-lo às autoridades.

Para a PGR, o fim desse prazo não retira, automaticamente, a necessidade do sigilo das informações, notadamente daquelas que deverão ser remetidas para o exterior mediante cooperação internacional. A solicitação formal e expressa ao STF foi feita nos termos da UNCAC - denominada também Convenção de Mérida (México) - que prevê:
... “o Estado Parte requerente poderá exigir que o Estado Parte requerido mantenha sigilo acerca da existência e do conteúdo da solicitação, salvo na medida necessária para dar-lhe cumprimento. Se o Estado Parte requerido não pode manter esse sigilo, terá de fazer o Estado parte requerente sabê-lo de imediato”.

Os pedidos de cooperação recebidos pelo Brasil só podem ser cumpridos após o fim do prazo previsto na cláusula contratual de sigilo do caso da empreiteira brasileira, que tem vigência por seis meses, a partir de 1º de dezembro de 2016, quando os acordos foram assinados.

O PGR enviou Ofício-circular aos Ministérios Públicos ou Fiscalías da Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, Peru, Portugal e Venezuela. Os membros da PGR são remunerados pelos contribuintes brasileiros e é aos contribuintes brasileiros que a PGR tem a obrigação de esclarecer, informar e prestar contas.

A Secretaria de Cooperação Internacional/SCI coordenará as respostas brasileiras aos pedidos estrangeiros.

Segundo o Secretário de Cooperação Internacional, é importante que os Ministérios Públicos estrangeiros designem um interlocutor para o caso Lava Jato e para os contatos com a SCI.

Em 20 de fevereiro deste ano, os Procuradores-Gerais de dez países que conduzem investigações relacionadas à empresa de engenharia brasileira – da qual se trata - estiveram em reunião realizada no Memorial do Ministério Público Federal, em Brasília. Como resultado do encontro, foi firmada a Declaração de Brasília sobre a Cooperação Jurídica Internacional contra a Corrupção.

A pergunta que não quer calar é:

Existe maior corrupção do que a praticada por Procuradores que recebem os seus altos estipêndios e benesses pagos – sacrificadamente - pelos contribuintes brasileiros e trabalham acintosamente contra os interesses daqueles que os remunera?

Finalmente, é aqui  - no Brasil - que os nacionais e estrangeiros residentes no Brasil querem viver.
Os exemplos históricos recentes não recomendam relevar nada que possa vir a prejudicar – mediata ou imediatamente - o querer da população brasileira.

O Brasil merece respeito.

·        Curriculo Lattes; Pesquisadora, CNPq, CAPES, FGV-RIO   

Michel Temer sob aplausos do PV Sarney Filho incentiva a venda no Brasil do CO2 pelos banqueiros internacionais

EUA: ACORDO DE PARIS, JÁ ERA. EM CONTRAPARTIDA, o indiciado pela Lava Jato por corrupção Michel Temer sob aplausos do fracassado PV Sarney Filho, assina o acordo de Paris concordando com a FARSA da venda do carbono CO2 para os banqueiros sionistas internacionais na Amazônia, no Brasil.
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e terno

Em suma, o comunismo utópico de Karl Marx acrescido de requintes totêmicos no gosto da Teologia da Libertação. Os compromissos espalhafatosamente anunciados em Paris seriam ruinosos para o Brasil. SERVE para impulsionar o tipo de comunismo tribalista apregoado pelas ONGs ambientalistas mais radicais e órgãos como o Conselho Indigenista Missionário, extensão subversiva da CNBB. Para os verdes, os falsos ambientalistas, trata-se de apertar o cumprimento da insanidade assinada. Assim, os mentecaptos de plantão, os entreguistas do governo brasileiro, assinam o acordo de Paris obedientes aos donos do mundo, os banqueiros sionistas, incentivando-os na venda do CO2 tão cobiçado, e para isso usam a farsa do aquecimento global.
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e terno
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e terno
Na cerimônia, Temer assinou decreto que "dá publicidade" ao Acordo de Paris sobre mudança do Clima e faz com que ele torne-se parte da legislação brasileira
Nenhum texto alternativo automático disponível.

Os falsos ambientalistas, o comunismo utópico de Karl Marx, os mentecaptos no Brasil frente ao aquecimento global


O anúncio luminoso foi feito para comemorar em 2015. Mas hoje a leitura é outra: "O Acordo de Paris já era".
O anúncio luminoso foi feito para comemorar em 2015.
Mas hoje a leitura é outra: "O Acordo de Paris já era".













As quimeras se complicam na hora de tomar contato com a realidade. É o caso do Acordo de Paris, aprovado na 21ª Conferência das Partes (COP-21) da Convenção-Quadro das Nações em dezembro de 2015. 

Dito acordo pretendia conter um não provado aquecimento global, dentro de certos limites, segundo informou a agência AFP.  

O objetivo declarado é que pelo fim do século a temperatura global não suba mais de 2ºC acima da “temperatura média da era pré-industrial”. Qual foi essa média pré-industrial, desde quando se contabiliza a era industrial e qual é a média atual?

Segundo os promotores ideológicos verdes do “acordo de Paris” a “era pré-industrial” de cujo clima se tem vestígios abarca por volta de 130.000 anos. 

Mas os indicadores são muito aproximados e nesse lapso de tempo enorme houve oscilações sumamente grandes para mais e para menos.

O saída dos alarmistas foi uma simplificação: a partir da década de 1850 começou o uso de termômetros!. Então a comparação é com essa década. Na nossa década a temperatura média global estaria por volta de 0,8ºC acima da década de 1850, após significativas oscilações.

Os dados da natureza não dizem muito sobre o futuro super-aquecimento acenado como um espantalho.

O rugido que sai do fundo da militância verde-vermelha é a vontade dissimulada de extinguir a civilização em que vivemos para nos encaminharmos a uma vida utópica tribal-anarquista.

O índio vivendo nu na mata em aldeamentos paupérrimos e raquíticos seria o ideal possível para a sobrevivência do planeta. Em suma, o comunismo utópico de Karl Marx acrescido de requintes totêmicos no gosto da Teologia da Libertação.

Políticos animados pela utopia de esquerda fingem vitória para esconder fracasso previsível.
Christiana Figueres, secretária-executiva; Ban-ki-moon, secretário geral da ONU;
Laurent Fabius, presidente da COP21; François Hollande, presidente socialista da França

As utopias costumam ser loucas. E esta o é também em nome de uma metafísica igualitária.

Mas, como essa proposta não será acompanhada pela humanidade que quer melhorar seu nível de vida, então ela tem que ser apresentada por fatias. E o “acordo de Paris” é a fatia que está sendo discutida.

A aplicação desse acordo envolveria uma sangria faraônica de recursos econômicos e sociais em nível planetário, numa aventura rumo ao inverossímil. O homem é impotente diante das colossais forças naturais que determinam o clima e os sacrifícios que lhe seriam impostos visam esse inverossímil.

Então não espanta que toda forma de inconvenientes inviabilize a aplicação desse Acordo assinado em Paris. Porém, a aliança ecológico-comunista não cessa de promover iniciativas que sob pretexto de evitar um apocalipse climático, achatará o nível de vida dos homens. 

Os 196 países signatários voltaram a se reunir em maio para preparar a reunião geral da COP 23, que se realizará em novembro em Bonn, Alemanha. Essa assembleia voltará a discutir quem faz o quê para impedir o suposto aquecimento do planeta. 

A reunião prévia consistiu num fabuloso palavrório, que terá ainda outros capítulos, regados por milhões de euros desembolsados por contribuintes de todo o mundo.

Show “Fiat Lux” projetado sobre a basílica de São Pedro enfatizou a meta tribalista panteísta miserabilista contida na COP21 e na carta “Laudato Si'”
Show “Fiat Lux” projetado sobre a basílica de São Pedro enfatizou
a meta tribalista panteísta miserabilista contida no acordo de Paris e na carta “Laudato Si'”
As discussões já estavam difíceis na COP21 e na COP2 (realizada em Marrakesh em 2016). 

Depois veio a eleição de Donald Trump para a presidência dos EUA. Quando candidato, ele já havia anunciado que se fosse eleito abandonaria o acordo de Paris. 

Elegeu-se e veio então o pânico!

As autoridades nomeadas para a direção da área de Meio Ambiente provocaram mais calafrios... 

E alívio para os cientistas sérios e os cidadãos americanos arrepiados pelo utopismo apocalíptico dos funcionários da administração Obama que deixaram seus cargos.

A demagogia verde estourou. “Esse acordo internacional é a última esperança para os pequenos Estados insulares”, disse chorosamente Thoriq Ibrahim, ministro de Meio Ambiente das Ilhas Maldivas nas conversações prévias em Bonn, com base nas vantagens que pensava arrecadar para mirabolantemente impedir o aumento do nível dos oceanos. 

Veja mais sobre essa tapeação:

Ilhas do Pacífico crescem em altura e extensão e desmentem alarmismo climático 

Ambientalismo: o clima não muda? Falsifiquemos os mapas! 

Aumento do nível dos mares é a “maior mentira já contada”

Os compromissos espalhafatosamente anunciados em Paris seriam especialmente ruinosos para o Brasil.

Prévia da COP23 em Bonn aguardava ansiosa a anunciada desistência dos EUA
Prévia da COP23 em Bonn aguardava ansiosa a anunciada desistência dos EUA
Mas serviria para impulsionar o tipo de comunismo tribalista apregoado pelas ONGs ambientalistas mais radicais e órgãos como o Conselho Indigenista Missionário, extensão subversiva da CNBB.

As normas, regulamentos e leis deverão ser necessariamente muito dolorosas para os cidadãos e as economias nacionais, que serão gravemente atingidas e restringidas.

Para os políticos, regras impopulares significam perder eleições e as benesses dos cargos públicos. Então, nessas reuniões os representantes tentam aparentar que farão maravilhas, enquanto retorcem os termos dos imensos regulamentos para não se exporem às críticas dos eleitores em seus países.

Para os verdes, trata-se de apertar o cumprimento da insanidade assinada.

O neocomunismo fantasiado de verde visa primariamente derrubar a maior das economias capitalistas. Mas se os EUA caírem fora desse bailado, tudo muda.

No Centro Internacional de Congressos de Bonn, Yvon Slingenberg, representante da União Europeia, comentou com ansiedade que “nós todos aguardamos a decisão final da administração americana”.

Os povos europeus serão outras das grandes vítimas das draconianas medidas miserabilistas desejadas pelos fanáticos verdes. Mas, para os burocratas de Bruxelas, intoxicados de utopismo, isso importa pouco. 

Em Washington, uma fonte do Departamento de Estado esclareceu que o país quer “ficar garantido de que as decisões da COP23 não trarão prejuízo” à sua política, à competitividade de suas empresas, nem ao seu crescimento econômico.

É o que todos querem para os seus países, menos os fanáticos ambientalistas.

Trump anuncia saída dos EUA do acordo de Paris, em roda de imprensa, Washington
Trump anuncia saída dos EUA do acordo de Paris,
em roda de imprensa, Washington
Ainda em Bonn, os negociadores se pavoneavam pelos corredores anunciando que recusavam renunciar às “conquistas” do Acordo de Paris, obtidas após árduos anos de discussões. 

A China, máximo poluidor do planeta, assinou o acordo com a ressalva de que só aplicará à medida que sua economia o permita. O que significa que fará o que lhe der na telha.

Obama fez uma trapaça legal para assinar. Dilma Rousseff prometeu uma meta mais irrealizável do que os outros países, a qual poderá custar no mínimo 40 bilhões de dólares e servirá para perseguir o produtor rural.

Mas o furor verde-vermelho concentrado contra os EUA tomou um balde de água fria quando o presidente Trump anunciou no 1º de junho que pulava fora dessa insanidade.

O anúncio teve grande repercussão mundial, como testemunhou "The New York Times". A utopia comuno-tribalista saiu como fera ferida de morte.

Ainda haverá passos complementares para encerrar a presença americana no Acordo. Porém é certo que o gigante tendo caído fora, muitos outros países farão pelo menos corpo mole e o "acordo de Paris" pode ficar tão aleijado quanto o extinto "Protocolo de Kyoto".

Para salvar a cara, a propaganda catastrofista anuncia que a China e a Índia se transformarão nos líderes planetários na luta para controlar a temperatura global. 

O “acordo mãe da natureza” não é mais poderoso do que as forças colossais da própria natureza! E não adianta os radicais utopistas chorarem as mágoas de seu sonho alucinado!
https://ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com.br/2017/06/eua-desiste-de-acordo-mae-da-natureza.html
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs

TRATADOS INTERNACIONAIS GOVERNANTES DO BRASIL: A AMAZÔNIA É DO BRASIL DE DIREITO E DE FATO.

Informe-se Ministro Aloysio Nunes e sinta-se orgulhoso por fazer parte do governo de um país, cujos cidadãos estão -  inteligentemente - atentos às riquezas do Brasil.
Os argumentos contrários às idéias  do Ministro brasileiro são muitos: informe-se com quem de direito, Ministro. A população brasileira remunera muito bem os assessores  do Ministro: está na hora de mostrarem serviço, bem orientando o Ministro.

REPASSAR ... REPASSANDO ...

CONSULTEM OS TRATADOS INTERNACIONAIS GOVERNANTES DO BRASIL: A AMAZÔNIA É DO BRASIL DE DIREITO E DE FATO.
                                                                Profa. Guilhermina Coimbra*
Os residentes no Brasil estão pasmos com a ausência de saber do Ministro Aloysio Nunes  - por falta de informação, na melhor das hipóteses.
                                                                                                
É completa e crassa ausência de informação – na melhor das hipóteses – abrir as fronteiras do Brasil.
A Amazônia pertence ao Brasil por sucessivos Tratados Internacionais assinados e ratificados.
O último foi o Tratado do Barão do Rio Branco.
Pacta sunt servanda.

Informe-se Ministro Aloysio Nunes e sinta-se orgulhoso por fazer parte do governo de um país, cujos cidadãos estão -  inteligentemente - atentos às riquezas do Brasil.

As riquezas do Brasil não jazem no território do Brasil para serem dispostas – concedidas, doadas – por nenhum Ministro do Brasil.

A população brasileira bem humorada - na medida do possível - é mais atenta do que qualquer Ministro de qualquer Governo brasileiro, ou, estrangeiro, possa supor.

Quando se trata de permitir que  governantes do Brasil façam “doações???!!!”, “concessões???!!!” etc.,   comprometendo o patrimônio público brasileiro, a população brasileira alerta, clama:
“Polícia Federal investigando quem está ganhando quanto, com essa idéia – na melhor da hipóteses estranhamente ignorante - de abrir as fronteiras do Brasil.”

Será que o Ministro não está a par do que ocorreu, sempre ocorre  e vem ocorrendo há um longo tempo, até os dias atuais – sistematicamente - com os países cujos governos abriram as respectivas fronteiras, não?
Informe-se Ministro Aloysio Nunes e nem tente agradar amigos de fora do Brasil – qualquer que seja a nacionalidade – porque, tais negócios, estão fora de negociação, por questão de direito reconhecido pela ONU!

Os brasileiros sentem muito, senhores – que se pretendem governantes do Brasil – mas, a população brasileira por mais que tentem desviá-la de temas de seu verdadeiro, legítimo direito - reconhecido pela ONJ –  está atenta.

Se essas ameaças à soberania do Brasil continuarem, não demora e a ONU terá que forçosamente tomar conhecimento do desmando.

O Brasil é parceiro, reconhecidamente ótimo sócio comercial de sócios diversificados.
Os sócios diversificados do Brasil  – absolutamente - não serão privilegiados se a idéia esdrúxula de abrir as fronteiras do Brasil vier a prevalecer. Ao contrário, tornar-se-ão reféns dos privilegiados, coisa que nenhum deles gostaria de ser.

Os argumentos contrários às idéias  do Ministro brasileiro são muitos: informe-se com quem de direito, Ministro. A população brasileira remunera muito bem os assessores  do Ministro: está na hora de mostrarem serviço, bem orientando o Ministro.

O Brasil merece respeito.