quinta-feira, 28 de abril de 2016

Petrobras e Venezuela explora gás xisto no Lago Maracaibo ou não?


VENEZUELA – Exploração de gás natural não convencional com participação da Petrobras.


Venezuela anuncia primeira exploração de gás natural não convencional com a Petrobras
Além da estatal brasileira, a PDVSA e a americana Williams International Oil & Gas integram a sociedade para exploração do recurso
A Venezuela vai começar a sua primeira exploração de gás natural não convencional no oeste do país, através de uma parceria com a brasileira Petrobras, disse nesta quarta-feira o ministro do Petróleo venezuelano Rafael Ramirez.
— Aprovamos no ministério fazer as primeiras explorações para a busca de gás de xisto aqui no Lago Maracaibo — disse Ramirez, durante uma conferência.
— Vamos começar em nossa joint venture Petrowayu — disse Ramirez sobre a sociedade, cuja empresa com maior participação é a PDVSA e na qual também participam a Petrobras com 36% e a norte-americana Williams International Oil & Gas com 4%.
A exploração do gás natural não convencional já é comum em países como os EUA e Canadá, que veem o recurso como a principal fonte de energia do mundo dentro de 20 ou 30 anos. A nova tecnologia também tem seus críticos que acusam a exploração do gás de destruir fontes de água doce, inclusive subterrânea, e até causar abalos.
No entanto, as grandes empresas batizaram o recurso de “pérola energética” e estão gastando bilhões de dólares para pesquisa e exploração em grande escala.
O gás natural não convencional permitiria à Venezuela, que possui as maiores reservas de petróleo do mundo, economizar combustível para exportação ao destinar menos para geração de energia.
Fonte: O Globo Online
PORÉM, OBSERVEMOS!

PETROBRÁS DIZ QUE NÃO HÁ PROJETOS PARA EXPLORAÇÃO DE GÁS DE XISTO NA VENEZUELA

PdvsaApós declarações do ministro do Petróleo da Venezuela, Rafael Ramirez, que havia dito que, juntamente com a PDVSA, a Petrobrás iniciaria a primeira exploração de gás de xisto na região do Lago de Maracaibo, a estatal brasileira tratou de negar a informação. A companhia disse que não há sequer estudos para a exploração de gás não convencional no país vizinho.
O ministro venezuelano havia dito que as duas estatais fariam a exploração de gás de xisto no país por meio da Petrowayu, formada por PDVSA (60%), Petrobrás (36%) e a americana Williams International Oil & Gas (4%). A participação na joint venture foi confirmada pela companhia brasileira.

Nenhum comentário: